O que tenho para dizer sobre a 22 ˚Bienal Internacional do Livro de São Paulo…

 

Bom, muita coisa é mídia e muita coisa ainda precisa ser feita para que o Brasil se torne de fato um país conhecido como um país de leitores.

 

Apesar disso não podemos deixar de perceber que estamos caminhando rumo ao progresso literário. Ver aqueles jovens cheios de livros, sorrindo e me enchendo de perguntas… Trocar ideias sobre o mundo e o cotidiano, sobre obras e autores… Observar as crianças atentas ao teatro e aos livrinhos… – tudo isso foi tão extraordinário que tentar descrever se igualaria ao banal.

 

Eu, como uma das escritores que esteve presente na Bienal, entendo todas as dificuldades que perpassam o mercado brasileiro de autores e editoras. Porém, independentemente disso, só tenho a agradecer por ter participado de um evento de incentivo à literatura, tanto quanto autora como sendo visitante.

 

Pessoas muito especiais estiveram lá para me prestiagar. Outras, todavia, tornaram-se especiais ao trocarmos cartões e filosofias. Não obstante, ainda tive o grande prazer de conhecer pessoalmente alguns membros da equipe da editora SCHOBA, uma editora de profissionais muito competentes e simpáticos, que brindaram comigo o sucesso coletivo e individual de cada um ali presente.

 

Enfim, o que posso dizer é que nessa Bienal pude ver mais de perto o quanto a jornada de cada ser humano é realmente um trajeto mágico e cheio de labirinhos, ora turbulentos, ora simplórios – isso foi o que tornou aquele momento tão mágico, praticamente sempiterno em minha memória.

 

… E aqui vai uma super novidade para aqueles que gostaram de “Entre o espelho e eu”: podem se preparar para a continuação da história. Aguarde a trilogia: “Entre o espelho e eu depois de você”. O serial killer que despertava a paixão em suas vítimas pode até estar morto, mas o irmão dele está vivo. E vai ressurgir toda a história das chamas…

 

Fica o meu abraço para todos. Aguardem “ENTRE O ESPELHO E EU DEPOIS DE VOCÊ “.

 

Comentar via Facebook